Olá, queridos leitores:)
Nesta tarde maravilhosa uma nova coluna será lançada! Desta vez vocês terão Livro X Filme. Que consiste em comparar o livro com sua adaptação.
Eu amo adaptações, mas claro, sendo o mais fiel possível ao livro. Ou ao menos perto disso. Não concordo com opiniões “cegas” sobre as adaptações, pois muitas pessoas criticam ao extremo e jogam o filme no lixo sem notar uma única coisa boa. Em minha opinião, as pessoas deviam ser mais abertas e aceitar as coisas novas, desprender um pouco do velho. Devemos notar que não existem adaptações completamente fieis ao livro. Há sempre alguma mudança, pois é impossível tirar tudo que tem no livro e jogar em uma tela de cinema. Há também o fato de que algumas pessoas não possuem conhecimento sobre o livro e assim a adaptação deve explicar certas coisas para estas entenderem. Em alguns filmes, as mudanças feitas não prejudicam o enredo do livro. Ao contrário, até melhoram e nos ajuda a compreender melhor. Porém, há adaptações terríveis que são totalmente o oposto do livro. Essas me deixam triste, mas mesmo assim tento tirar algo de bom delas😉

Para a estreia dessa coluna escolhi o livro O Doador de Memórias que foi adaptado para o cinema em 2014. É o tipo de livro/filme que pela sinopse/trailer nos dar muita curiosidade e vontade de ler/assistir. Confira a sinopse abaixo:
“Em O Doador de Memórias, a premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.”
Li o livro no ano passado e adorei *-* É ótimo e nos faz questionar diversas situações que acontecem no mundo e em nossa comunidade. Estava muito ansiosa para assistir ao filme. Tanto que quando assisti cheguei a chorar de tão emocionada (eu exagerada).
Depois de assistir ao filme, fui inundada por uma sensação estranha. Fiquei de queixo caído e lágrimas escorriam dos meus olhos! A adaptação de O Doador de Memórias é fantástica. A forma como a história é contada, as cenas, os atores, a atuação, produção… Tudo! Pela primeira vez gostei mais da adaptação que do livro. Sério! Achei o livro insuficiente para a grandiosa história. Gostaria de saber mais detalhes sobre a distopia. O que não foi feito no livro. Já no filme, tudo foi tão bem explicado que pude entender melhor a história. Houve algumas mudanças, mas não prejudicaram de maneira nenhuma. Até ajudaram. Fui tocada por várias cenas que me fizeram chorar pelo choque de realidade que foi jogado na minha cara. É incrível!
O Doador de Memórias se tornou um dos meus filmes favoritos. A história é maravilhosa e nos instiga. Faz-nos pensar sobre diversas coisas. Achei o livro incompleto, mas recomendo os dois. Leia o livro e veja o filme. Espero que goste e depois me diga sua opinião.
Até a próxima!

Deixe um comentário