Título: A Ilha dos Dissidentes
Autora: Bárbara Morais
Páginas: 304
Ano: 2013
Editora: Gutenberg
GêneroDistopia
AdicioneSKOOB
Sinopse:
Ser levada para uma cidade especial não estava nos planos de Sybil. Tudo o que ela mais queria era sair de Kali, zona paupérrima da guerra entre a União e o Império do Sol, e não precisar entrar para o exército. Mas ela nunca imaginou que pudesse ser um dos anômalos, um grupo especial de pessoas com mutações genéticas que os fazia ter habilidades sobre-humanas inacreditáveis. Como única sobrevivente de um naufrágio, ela agora irá se juntar a uma família adotiva na maior cidade de mutantes do continente e precisará se adaptar a uma nova realidade. E logo aprenderá que ser diferente pode ser ainda mais difícil que viver em um mundo em guerra.
 Trilogia Anômalos


1. A Ilha dos Dissidentes
2. A Ameaça Invisível
3. A Retomada da União


A Ilha dos Dissidentes é o primeiro livro distópico da trilogia Anômalos escrito pela autora brasileira Bárbara Morais, publicado pela editora Gutenberg. Os outros livros que compõe a coleção já foram lançados e receberam os nomes A Ameaça Invisível e A Retomada da União respectivamente. Estou muito ansiosa para ler os próximos livros e estou cheia de teorias e expectativas. Pois esse primeiro livro se tornou meu queridinho❤ Eu estava louca pela leitura desse livro e com grandes expectativas. Pela sinopse já imaginava mil e uma coisas que aconteceria na trama. Conclusão: É excelente! Incrível mesmo, mas diferente do que eu pensava que seria.
A história é narrada em primeira pessoa pela personagem protagonista, Sybil Varuna (bem complicado, ainda não sei como se pronuncia), uma jovem de 16 anos sobrevivente refugiada de guerra. Uma guerra que está acontecendo a mais de 300 anos entre a União e os Dissidentes. Quem são os verdadeiros vilões nessa história ainda não fica claro nesse primeiro volume.
“São três regras muito simples: você não diz para ninguém o que se passa por aqui. Você não faz alarde que é parte dessa turma. E você sempre respeita os outros membros. Se você descumpri-las, sua vida vai virar um inferno, certo?”
O que Sybil mais desejava era sair da zona de guerra onde morava em Kali e não ser recrutada para o exército. Assim, ela se inscreve em um programa de refugiados de guerra e parte em uma viagem no Titanic III (bem irônico) com destino a o lugar onde sua vida melhoraria. Porém, ocorre um naufrágio onde somente Sybil é a sobrevivente. O motivo? Ela é uma anômala. Uma mutante que possui poderes. Isso dar uma reviravolta na vida de Sybil e nos seus objetivos.
Ao invés de ser encaminhada para o lugar dos refugiados, ela é levada para Pandora (o que me lembrou do filme Avatar haha Adorei), a maior cidade especial para anômalos. A estrutura de Pandora é totalmente diferente da que Sybil estava acostumada. É uma cidade enorme que possui diversas coisas próprias para suportar os objetivos dos anômalos. Há muita tecnologia envolvida. Também há escolas e empresas onde os anômalos podem estudar e trabalhar. Ou seja, é uma vida sustentável e excelente para eles.

Sybil é designada para uma família adotiva de anômalos. Onde receberá amor, conforto, comida abundante e boa educação. A vida de Sybil não poderia ser melhor e mais feliz. No decorrer da trama algumas coisas irão acontecer e a garota começa a desconfiar dos motivos por trás dessa boa vida e da estrutura de Pandora.
“Às vezes, a diferença entre a vida e a morte são alguns segundos. Segundos preciosos que as pessoas perdem ao ficarem surpresas ou temerosas.”
Na escola, Sybil conhece novas pessoas e faz amizades. A garota aprende a controlar o seu poder e a fortalece-lo. Além de outras maneiras de usá-lo. Logo de primeira, Sybil mostra ser uma garota que gosta do diferente. Pois, ela escolhe matérias e caminhos diferentes do esperado. Quando todos dizem: “Não faça isso.” É realmente o que ela faz. Sybil possui habilidades maiores do que imaginou que pudesse ter.
Ao demonstrar como é forte e inteligente, Sybil e outros colegas de classe são escolhidos para uma missão. No começo tudo é novo e até parece fácil, mas as coisas se complicam no decorrer dos fatos. Algumas lacunas de dúvidas são preenchidas e outros mistérios surgem. Sybil deverá pensar muito em quem confiar.
A escrita de Bárbara é excelente. Ela descreve as cenas de ação e as mais tranquilas com muita precisão e detalhes que não deixam nada cansativo. Ao contrário! São impressionantes! Nos instiga a querer saber mais e mais sobre a história. A trama é de tirar o fôlego! Há sacadas inteligentes e palavras diferentes. Todo o novo mundo foi muito bem construído e a história é bem feita. Não há aquelas coisas sem sentido. Tudo se encaixa perfeitamente. Há uma luzinha de romance, mas ele não é o foco desse primeiro livro.

Somos introduzidos há diversos personagens. Até os de alto nível no governo. Sério, há muitos personagens mesmo! Talvez fique confuso no início, mas dá para entender. Não dá para não amar os amigos de Sybil. Tanto os amigos, quanto a família são adoráveis e fáceis de apegar. AndreiLeonNaokiAvaBryanRubiDimitri e Tomás são meus queridinhos❤
No início fiquei um pouco desconfiada com a nova família, mas no decorrer da trama, aprendi a gostar deles. Senti falta de alguns amigos de Sybil que não apareceram muito no decorrer da história. O que é compreensível devido à trama. Espero que eles estejam mais presentes e sejam parte de algo importante nos outros livros.
“Eu acho que, na verdade, ninguém nunca está a salvo.”
Sybil é uma garota muito esperta e possui uma língua extremamente afiada. Ela sabe se virar muito bem, é independente e forte. Ás vezes achamos que ela podia está pensando errado, mas aí ela nos surpreende por ter sacado algo e faz a coisa certa. Apesar de algumas confusões como consequência. Gostei bastante dela e de sua personalidade.
A Ilha dos Dissidentes é a introdução da trilogia e foi muito bem escrita. Nos dá informações o bastante e nos tira algumas também para a trama ter mais sal. É uma distopia incrível e que nos dá alguns sustos e tapas na cara. Há um conflito nesse livro que é resolvido, porém também é o BAM para o próximo livro e algo crucial para a história. Percebe-se que há muito preconceito dos humanos contra os anômalos e notei algumas injustiças (que até me deram raiva). A autora não tem dó e perdi o fôlego diversas vezes!
O leitor se envolve completamente com a história e consegue se colocar no lugar dos personagens. Um quebra-cabeça se forma em nossas cabeças, o que é maravilhoso! O mistério, com os personagens fortes e a trama por si formam um pacote distópico maravilhoso. Envolvi-me totalmente com a história e não conseguia parar de ler. Sou uma anômala, visto amarelo e estou pronta para o que der e viver😉 haha

Recomendo demais a Trilogia Anômalos. Vale muito a pena ler! E olhe que nem falei de tudo nesta resenha. É incrível! Bárbara se tornou uma das minhas autoras queridinhas❤


Deixe um comentário