Título Original: Queen Song
Autora: Victoria Aveyard
Páginas: 51
Ano: 2015
Editora: Seguinte
Sinopse:
Neste conto que se passa no universo da série A Rainha Vermelha, você terá acesso ao diário secreto da rainha Coriane, primeira esposa do rei Tiberias VI e mãe de Cal. Presente de seu querido irmão Julian, o caderno se tornou o único lugar onde a nobre prateada podia desabafar sem que seus pensamentos e emoções fossem usados contra ela.
Ainda jovem, Coriane Jacos foi obrigada a se mudar para o palácio real e lutava para lidar com os perigos e armadilhas do convívio com as outras Grandes Casas. A garota e o então príncipe herdeiro ficaram cada vez mais próximos, provocando a inveja e o ciúme de outras jovens da nobreza, sobretudo Elara Merandus — que tinha o poder assustador de entrar na mente das pessoas. Apaixonado, o príncipe descartou a Prova Real e escolheu Coriane como sua esposa, mas a vida da jovem rainha estava muito longe do tradicional “felizes para sempre”.
Canção da Rainha é o conto que antecede o livro A Rainha Vermelha (clique para ler a resenha), lançado em e-book e está disponível de graça. Nele podemos conhecer a Rainha Coriane Jacos, mãe de Cal e primeira esposa do Rei Tiberias VI.

Coriane pertencia a Casa Jacos, a qual estava à beira da falência. Com a morte de um parente, a família teve que se mudar para Archeon e viver na corte. A jovem de 15 anos se sentia sozinha e deslocada no meio de tanta gente mesquinha. O que salvava seus dias era escrever no diário que havia ganhado de presente do irmão Julian. Nele, ela podia dizer suas expectativas, medos e sentimentos mais angustiados.
Coriane era uma cantora. Cantores possuem o poder de controlar as pessoas somente olhando nos olhos. Assim, a pessoa fica hipnotizada e faz tudo que o cantor deseja. Porém, Coriane não gostava de usar seu poder em beneficio próprio. Para ela, isso era errado. Esse foi um dos erros da moça, pois naquele mundo, os poderosos usam seu poder para se protegerem e mostrar sua posição na corte.
Em uma festa, Coriane conhece o príncipe Tiberias. Dali em diante eles ficam cada vez mais próximos e se tornam amigos. O que provoca fofocas da corte e inveja por parte das garotas que competiriam na Prova Real para se tornar a próxima rainha. Tiberias se apaixona por Coriane e assim, dispensa a Prova Real. Ato que provoca a ira de muitas pessoas, mas principalmente deElara Merandus.
Após a morte do rei Tiberias V, o filho toma seu lugar e se torna Rei Tiberias VI. Fazendo assim, Coriane se tornar rainha de Norta. (Incrível como esse lance de reis com nome Tiberias não acaba! Por enquanto está em Cal, que é Tiberias também haha).
Desde que se casou com Tiberias, Coriane passou a ter pesadelos horrendos todas as noites. Fazendo com que a jovem rainha pensasse que alguém está criando esses tormentos em sua mente para que ela enlouqueça. Os pesadelos fazem tanto mal a ela, que prejudica a gestação de filhos. Sua principal suspeita é Elara.
Eis que seu filho Tiberias nasce, o qual foi apelidado de Cal. Enquanto está com o filho, a tristeza não machuca muito Coriane, mas os pesadelos continuam e a rainha afunda cada vez mais. Podemos ver todos os seus tormentos nas páginas do diário até as suas últimas palavras.
Após a morte de Coriane, Elara Merandus se torna rainha de Norta. O que não é spoiler, já que um fato óbvio visto em A Rainha Vermelha.
Canção da Rainha é um conto interessante para sabermos mais sobre Coriane e os motivos que levaram a sua morte. Podemos ver também como era Tiberias VI em seus tempos de príncipe e como Elara já era insuportável desde aquela época.
A escrita de Victoria Aveyard continua maravilhosa e a trama segue em um ritmo excelente. O ponto fraco foi que a autora deveria ter explorado mais, nos contado mais. Muitas coisas que eu esperava saber nesse conto, não foram ditas. Ficaram algumas pequenas pontas soltas. Talvez sejam até fatos irrelevantes, mas eu gostaria de saber.
Recomendo a leitura do conto para quem já leu A Rainha Vermelha. Agora nos resta esperar ansiosos para o segundo livro da saga que será lançado em 2016.

Deixe um comentário