Título Original: Ignite Me
Autora: Tahereh Mafi
Páginas: 384
Ano: 2014
Editora: Novo Conceito
Gênero: Distopia
AdicionarSkoob
Sinopse:
O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado.
Juliette foi a única que restou no caminho d’ O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá.
Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.

Trilogia Estilhaça-me 


1. Estilhaça-me (leia a resenha)
2. Liberta-me (leia a resenha)
3. Incendeia-me



Incendeia-me é o terceiro e último livro da trilogia Estilhaça-me, escrita pela autora Tahereh Mafi e publicada pela Editora Novo Conceito. Esse último livro me fez sentir muitas emoções e estou feliz em “dizer” que Mafi fechou com chave de ouro essa trama maravilhosa!

Logo no início de Incendeia-me, vemos as consequências do que aconteceu no final do livro anterior. Depois de levar um tiro de Anderson e quase morrer, Juliette é salva por Warner e sobrevive com a ajuda de Sara e Sonya. Porém, assim que desperta, nossa protagonista recebe a péssima notícia que na batalha contra O Restabelecimento, diversos amigos foram mortos e o Ponto Ômega fora totalmente destruído. Isso abala as estruturas de Juliette, deixando-a desolada. Mas isso foi um pontapé para que a moça se tornasse mulher. Uma mulher forte, corajosa, poderosa e cheia de vingança.
Todo esse conflito e as perdas fizeram com que Juliette ficasse mais forte e decidida. A garotinha indefesa e confusa que vimos nos livros anteriores foi deixada para trás. Esse fato fez com que a trama ficasse ainda mais envolvente e empolgante.
Juliette está definitivamente convencida de que ela é a pessoa certa para destruir Anderson e derrubar o Restabelecimento. Assim, ela deve saber controlar totalmente seus poderes e juntar forças, com pessoas que nunca pensou que se aliaria, para destruir o governo que os oprimia.

Em Incendeia-me, podemos conhecer Warner (amorzão❤) ainda mais. Os motivos que o tornaram “vilão” ficam às claras e são totalmente compreensíveis. Mafi construiu o personagem tão bem que faz o leitor mudar a visão que tinha sobre o rapaz. Juliette também enxerga Warner mais claramente e de acordo com os fatos que vai descobrindo, a moça se vê surpreendida e começa a gostar ainda mais do bonitão. Ou seja, tudo que achávamos do personagem, muda de rumo e apesar de Warner tentar esconder alguns segredos sombrios, a verdade vem à tona e nos mostra outro lado do personagem que jamais esperaríamos conhecer.
No decorrer da trama segredos são descobertos e momentos de tirar o fôlego acontecem a todo o momento. São tantas surpresas que levamos tapas na cara e ao mesmo tempo em que Juliette começa a se apaixonar por Warner, o leitor começa a torcer para que o casal fique junto. As cenas entre eles são incríveis e não há como não gostar.
Foi maravilhoso ver os rebeldes sobreviventes trabalhando ao lado de Warner, treinando juntos. Esses momentos eram excelentes, pois nos mostrava os poderes de cada um e como eles o controlavam, além da convivência em que uma hora ou outra soltava uma farpinha.
Assim que as desconfianças eram confirmadas, me via sem chão e em alguns momentos chorei. Ainda mais quando se tratava do passado e/ou presente de Warner. Muita emoção!

Na batalha final, fiquei com o coração na mão e a tensão era intensa. Juliette mostra que conseguiu aprimorar e controlar seus poderes, se tornando uma heroína fantástica. Não imaginava que ela seria capaz de tudo aquilo. Muitas mortes acontecem, mas vidas também são salvas e o final foi BAM! Tahereh conseguiu finalizar lindamente a trilogia, apesar de eu querer saber mais.
Sim, há um triangulo amoroso, mas não é nada chato. Ao contrário, é emocionante ver as decisões serem tomadas e as briguinhas internas. O casal que eu torcia já estava formado desde o segundo livro!
Os personagens foram muito bem criados e cada um possui uma personalidade única e bem feita. Como disse anteriormente, Juliette cresceu e amadureceu bastante. Gostei ainda mais dela e da maturidade de tomar decisões. Warner também amadureceu muito, mostrou ser um personagem fantástico e, desculpem a palavra, fodão! Adam se tornou muito chato nesse terceiro livro, na verdade desde o segundo ele foi perdendo espaço. Algumas atitudes me fazia odiá-lo. Kenji, ah Kenji, não há palavras para descrevê-lo. Com suas ironias e brincadeiras ele deixou a trama mais leve e eu amava todos os momentos em que ele aparecia. Considero um amigão❤ Só não digo melhor personagem, porque Warner é Warner ❤ haha Os outros secundários também não ficam de fora. Eles tiveram seus momentos de destaque, o que foi muito importante.

Incendeia-me provocou uma série de sentimentos, como raiva, amor, frustração e me diverti bastante também. Tahereh Mafi termina a série de forma brilhante! Há muita ação nos últimos capítulos do livro e as reviravoltas são de tirar o fôlego. A maneira como Mafi escreve é única. Ela consegue montar o quebra cabeça de forma genial. As sacadas e os diálogos são carregados de lições. Fantásticos, os quais torna a história ainda melhor. Mafi fez tudo com maestria e fechou a trilogia com chave de ouro. Apesar de que eu queria um epílogozinho que mostrasse o futuro haha Sério gente, a maneira que a autora escreve é diferente de tudo que já lemos, o que torna ainda mais incrível e é uma distopia maravilhosa. Recomendadíssima essa trilogia! Leia leiam leiam😉
Frases
“Há um tipo esquisito de liberdade no escuro; uma vulnerabilidade aterrorizante que permitimos a nós mesmos exatamente no momento errado, enganados pela escuridão, pensando que ela guardará nossos segredos.”
“Nenhuma arma, nenhuma espada, nenhum exército nem rei um dia será mais poderoso que uma frase. As espadas podem cortar e matar, mas as palavras vão golpear e ficar, enterrando-se em nossos ossos para virarem corpos mortos que carregam para o futuro, sempre cavando e sem conseguir arrancar seus esqueletos de nossa carne.”
“Não vou ficar me desculpando. Vou viver sem arrependimentos. Vou enfiar os dedos dentro da terra e arrancar a injustiça e esmaga-la com minhas próprias mãos.”
“É a única maneira como eu sei existir. Em um mundo onde há tanto com que se afligir e tão poucas coisas boas a aproveitar? Eu não me aflijo a nada. Eu aproveito tudo.”
“Quero que você me incendeie, meu amor.”
o i n f e r n o e s t á v a z i o
e t o d o s o s d e m ô n i o s e s t ã o a q u i
😉

Deixe um comentário