Título Original: Silence
Autora: Becca Fitzpatrick
Páginas: 304
Ano: 2012
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance Sobrenatural
AdicioneSkoob
Sinopse:
Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe.
Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida.
A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo.


Série Sussurro (Hush Hush) 


1. Sussurro (leia a resenha)
2. Crescendo (leia a resenha)
3. Silêncio
4. Finale



Silêncio é o terceiro livro da série Hush Hush, escrita pela autora Becca Fitzpatrick e publicada pela Editora Intrínseca. Os primeiros livros são Sussuro e Crescendo. Li a série completa há muito tempo, tanto que já reli duas vezes❤
Esse terceiro livro inicia-se três meses após o final de Crescendo, quando o Mão Negra fez um acordo com Patch, onde o anjo teria que lhe passar informações sobre os anjos caídos em troca da liberdade de Nora, o qual fora sequestrada.

Dias depois, Nora acorda em um cemitério, perdida e sem se lembrar de como foi parar naquela situação. Após ser levada para o hospital, ela recebe o diagnostico de amnésia, por não se lembrar de nada dos últimos cinco meses, exatamente o tempo que ela passou com Patch. Esse fato me causou muita raiva e curiosidade ao mesmo tempo. Tipo WTF?

No decorrer da trama, Nora está muito confusa e tentando lidar com os acontecimentos recentes. Alguns fatos surpreendentes mudaram, o que deixa até o leitor estupefato. Assim, nossa protagonista vai em busca das memórias perdidas durante esse tempo e com a ajuda de Vee começa a ligar os fatos.
Em diversos momentos Nora tinha um vislumbre da cor preta. Como se fosse uma pessoa, encarando-a com um lindo par de olhos. Ela não sabia explicar, mas automaticamente se sentia protegida e segura.
Até que certo dia, Nora reencontra Patch, que agora usa um outro nome e está diferente em algumas características. E mesmo com tudo indicando para que não se aproximasse dele, Nora sentia que já o conhecia.

Além de tudo isso, Nora encontra sua mãe namorando com ninguém menos que Hank Millar, que é pai de Marcie, e também pai de Nora, mas depois que teve a amnésia, não se lembra mais desse detalhe. Mas ela sabe que não pode confiar em Hank, e que ele não é quem diz ser.
Aos poucos, Nora vai tendo uns lampejos, e se lembra de algumas coisas e também de algumas pessoas. Assim, ela fica desconfiada de tudo e todos, pois sabe que estão escondendo algo dela. E pouco a pouco, vai conseguindo recuperar sua memória, mas não sem a ajuda de Scott Parnell, seu amigo de infância, e claro, Patch, seu anjo da guarda e ex namorado.

Scott foi uma peça essencial na trama e ajudou muito Nora. Ele foi um dos poucos, se posso dizer, até o único que dizia tudo a ela.
Foi maravilhoso ver Nora e Patch reconstruir o relacionamento. Os momentos foram incríveis e eu não parava de sorrir. Patch é fantástico. Ele faz tudo por Nora e é de doer o coração os sacrifícios que ele faz. (Te amo tanto, Patch❤).
Silêncio é um livro incrível. A história é um prato cheio de mistérios, ação e sobrenatural. Mais dúvidas e segredos surgem, o que faz a leitura ficar mais interessante, fato que instiga o leitor a querer saber mais. O final foi de tirar o fôlego e em diversos momentos fiquei chocada com as revelações. Eu tinha minhas dúvidas, mas não imaginava que seria daquele jeito. Preparem-se, pois War is Coming 😉

Frases
“Sei que faria qualquer coisa por você, mesmo que para isso tivesse que agir contra meus instintos e minha natureza. Abriria mão de tudo que tenho, até da minha alma, por você. Se isso não é amor, é o melhor que tenho para oferecer.”
Nora: “Todos esse ruídos e gemidos fazem você parecer… primitivo.” Seu sorriso se alargou.
Patch: “Primitivo.”
Nora: “Você é impossível.”
Patch: “Mim Jev, você Nora.”
Patch: “Já que estamos no nível primitivo, seu cheiro é bom.” Ele observou. E se aproximou ainda mais, o que me fez tomar consciência de seu tamanho, dos movimentos de seu peito, do calor da sua pele sobre a minha. […]
Nora: “O nome disso é chuveiro…” comecei automaticamente, mas parei. Minha memória sofreu um solavanco, tomada de assalto por um sentimento intenso e poderoso de inadequada familiaridade. “Sabão, xampu, água quente…” Acrescentei com a voz fraca.
Patch: “Nua, sei como é.” Jev respondeu, e algo indecifrável passou por seus olhos.
“Você é minha, Anjo, e não se esqueça disso. Suas lutas são minhas lutas. E se alguma coisa tivesse acontecido hoje? Foi ruim o suficiente quando eu pensei que era o seu fantasma me assombrando, eu não acho que eu poderia lidar com a coisa real”.
“Mas como poderia algo perdido na minha memória durante este tempo me causar prazer ao invés de dor? Eu respirei lentamente. Eu senti uma urgência desesperada de seguir a cor, não importa onde ela me levasse. Eu ansiava por encontrar aqueles olhos negros, de ficar cara-a-cara com eles. Eu desejava saber a quem pertenciam. A cor veio até mim, me chamando para segui-lo. Racionalmente, não fazia sentido. Mas o pensamento estava preso em meu cérebro. Senti um desejo, hipnótico e obsessivo para deixar a cor me guiar. Um poderoso magnetismo que mesmo a lógica não poderia quebrar.”

Deixe um comentário