Título: Insônia
Autora: Mari Scotti 
Páginas: 324
Ano: 2015
Editora: Independente
Gênero: Sobrenatural
AdicioneSkoob
Sinopse:
Suzana perde os pais com oito anos de idade e foi a única sobrevivente do acidente que matou seus pais. Foi salva por alguém que ninguém acredita existir. Quando está perto de completar dezoito anos, coisas estranhas passam a acontecer. Dois rapazes surgem em sua vida, são misteriosos e parecem saber muito mais sobre ela do que deveriam. Ela precisa escolher entre um ou outro, mas não sabe que essa escolha mudará sua vida para sempre.


 Série Nefilins


1. Insônia
2. Sonhos


Insônia é o primeiro livro da série Nefilins e foi recebido por meio da parceria com a querida autora Mari Scotti. Li em e-book e você pode comprá-lo AQUI.
Suzanna é uma jovem de dezessete anos que perdeu os pais em um acidente de carro ao qual foi a única sobrevivente. Desde o ocorrido, ela vive com seus avós paternos em São Paulo.

Pesadelos e insônias dificultam as noites de sono de Suzie, os quais a fazem acordar todos os dias às três horas da manhã totalmente desperta. Assim, para se distrair, a mocinha ler e escreve debaixo da árvore de seu vizinho. Ela sempre entrou escondida e nunca foi pega. Até que um dia, Suzanna sente a presença de outra pessoa. Pietro, um rapaz mais velho, sexy e misterioso que a atrai de imediato. Ele a pega de surpresa no jardim de seus tios (sim, minha gente, Pietro é sobrinho dos vizinhos de Suzanna!) e suas atitudes, por vezes, estranhas, intriga a garota.
Cada dia que passa, Suzanna e Pietro se envolvem ainda mais. A mocinha está totalmente caída de amores pelo rapaz e o que mais deseja é que esse sentimento seja recíproco e que transforme em algo mais concreto.
Tudo estava indo muito “bem” na vida de Suzanna, mas eis que surge Arthur, seu novo colega de escola. Se Pietro já abalou as estruturas da moça, imagine o que Arthur fará! Com seu porte de bad boy, jeito arrogante e atitudes diretas ele consegue fisgar a atenção de todos na sala de aula.
Arthur quer a todo custo fazer parte da vida de Suzanna, mas ele, assim como Pietro, é muito misterioso e possui atitudes estranhas. Arthur sabe muitas coisas que Suzanna nunca mencionou e responde perguntas que Suzanna só fez em pensamento. Isso intriga a garota ainda mais e ela busca por respostas.
No decorrer da trama podemos ver Suzanna buscando por respostas e poucas revelações foram ditas. O que deixa tanto a protagonista quanto o leitor perturbados e desejando mais.
Suzanna fica dividida entre Pietro e Arthur. A dúvida em “quem devo confiar?” paira constantemente e aos poucos Suzie descobre quem ela realmente é e o que aconteceu na noite do “acidente” dos seus pais.
Confesso que a leitura no início foi difícil para mim. As coisas demoravam a acontecer e tudo estava mais manso, porém compreendo que como era o início tinha que ter essa introdução.
A primeira vista eu não gostei do Pietro (me julguem haha). Ele era bonzinho demais e rápido demais em alguns gestos. Suzanna tinha que dizer “Opa Cowboy, calma aí! Segura esse laço!” haha Mas ela acabava caindo nos braços dele e isso me deixava agoniada, pois eu não confiava e nem gostava dele. Foi tudo muito fácil no início da relação deles. Porém, os momentos calientes entre os dois foram Ó uma beleza 😉 haha
Como eu disse, o início da estória foi lento, mas assim que Arthur apareceu tudo mudou! A trama deu uma guinada forte e eu não conseguia parar de ler. Shippei Arthur e Suzanna logo de cara ❤ haha O fato de ele ser mais direto e cheio de atitude fez com que a estória ficasse ainda melhor!
Há duas coisas que eu julgo como pontos negativos. Ambas são gostos meus e que para alguns não são um problema. Primeiro, a rapidez com que as pessoas se apaixonam é um fato que me incomoda. Em minha opinião, você sente primeiramente atração pela pessoa e com o tempo, depois de conhecer melhor, aí sim poderá se apaixonar. Mas, como eu disse, é um gosto meu e não defeito do livro, pois até nisso (de se apaixonar rapidamente) a autora soube dar uma explicação super plausível. Uma outra coisa que me incomodou, foram as descrições. Suzanna descreve até os movimentos que faz com o corpo e isso fica cansativo. Concordo que as descrições são ótimas para podermos imaginar corretamente a locação da estória, mas quando é excessivo, pode ser cansativo. Porém, como eu disse isso é uma coisa minha, muitas pessoas gostam. Há os pontos negativos e positivos disso.
Insônia não se trata apenas de um triangulo amoroso e seres sobrenaturais. Aos poucos fica claro que a chegada de Pietro e Arthur na vida de Suzanna não tem nada de casual. O motivo tem a ver com as origens da protagonista, que ela mesma desconhece, e as quais ela vai desvendando aos poucos, junto com o leitor. E Susie também não é o motivo dos dois homens se odiarem tanto. Esses dois tem uma história juntos, que remota a anos!
O “amor à primeira vista” que Suzanna sente por Pietro tem um motivo! Não é uma simples atração adolescente, vai além disso. Sim, a atração ajudou, mas há fatos muito mais certos e que explica o porquê desse amor repentino. Achei isso excelente, a autora arrasou!
A escrita de Mari Scotti é excelente e rebuscada, faz a leitura fluir facilmente. Os detalhes nos dão uma visão completa da cena e a mitologia criada é muito bem feita. Uma outra questão bem positiva da leitura foi a explicação da parte da fantasia, a mitologia. A autora nos deu bastante elementos para que a situação toda fosse criada.
Insônia trata de uma questão importante: existe alguém realmente bom, ou realmente mal? Durante toda a trama nos questionamos sobre quem realmente são Pietro e Arthur, qual deles é o mocinho, qual é o vilão, e ao encerrar a leitura, não temos essas perguntas claramente definidas. Essa dúvida até trás questões da vida real. Ninguém é totalmente bom ou totalmente mau. Temos os dois lados, assim como os personagens. Esse é um dos pontos mais fortes do livro. Adorei isso😉
Os personagens são ótimos. O leitor deve interpretá-los além. Diverti-me com os diálogos entre Suzanna e sua amiga Bruna sobre as questões adolescentes. Suzanna mostra ser corajosa, mas ao mesmo tempo não busca por mais respostas. Ela devia insistir mesmo e rodar a baiana. Mas foram poucas às vezes que fez isso. O leitor se coloca no lugar dela e sente suas dores. Não ter suas perguntas respondidas, não saber em quem confiar, a culpa pela morte dos pais… É bem complicado. Pietro no início foi muito chato, mas mais pra segunda metade da estória ele fica, desculpem a palavra, fodão! Minha relação com ele é de amor e ódio! Arthur é muito amor, gente❤ Ao mesmo tempo em que é rápido nas atitudes, algumas vezes não se entregou o bastante, fato compreensível.
Muitas dúvidas e lacunas vazias foram deixadas. Estou com várias teorias em mente. Espero que no segundo livro essas pontas soltas achem um resultado. O final foi BAM. Fiquei gritando: “Não pode ter acabado assim!” Mas graças à Deus, ou melhor, à autora, o segundo livro já foi lançado \o/
Em suma, Insônia é um ótimo livro! É um sobrenatural gostoso de ler e que aborda diversas questões. Recomendo😉
Frases
“Tinha aprendido com meus pais que alguém que é sincero sempre fala olhando nos olhos, pois os olhos não mentem. Esse pensamento me fez acreditar na inocência dele, mas tinha outro porém, existem pessoas que são tão frias que se tornam ótimos manipuladores e mentirosos.”
“Você é forte, filha. Você pode ir mais alto. Ás vezes, quando me sentia assim quase a ponto de desabar, lembrava-me do meu pai dizendo essa frase. Eu tinha caído do balanço na escola e não queria mais brincar, então papai me explicou que eu tinha de tentar, que quanto mais forte fosse, mais alto conseguiria ir. Ensinou-me a usar a força do meu corpo para ir mais alto e depois me explicou que a vida era igual aquele balanço, podia me puxar para trás, mas com um impulso meu, eu iria ainda mais alto.”
“Quando o peso sumiu do meu corpo, consegui abrir os olhos, e encarei o homem, os olhos acinzentados me fitaram com medo e exaustão, inquietos. Um barulho ensurdecedor me fez encolher em seu colo e gritar. O cheiro de queimado e o calor me atingiram e tudo ficou nublado.”
“— o que você quer de mim?
— Sua companhia.
— Para…?
— Para meu prazer.”
“Suzie… Desculpe-me. Eu apenas sei, tem coisas sobre mim que não posso revelar. Apenas sei, está bem. Suzie, confie em mim, eu quero seu bem. Eu me aproximei porque não era mais possível permanecer afastado.
– O que você quer de mim?
Quero você e não de você!”

Deixe um comentário