Título Original: Clockwork Prince
Autora: Cassandra Clare
Páginas: 406
Ano: 2013
Editora: Galera Record
Gênero: Fantasia
AdicioneSkoob
Sinopse:
Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres (ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada) foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.

 Trilogia “As Peças Infernais”


1. Anjo Mecânico (leia a resenha)
2. Príncipe Mecânico
3. Princesa Mecânica (leia a resenha)



Observação
Já conclui toda a trilogia em 2013/2014, mas somente agora estou resenhando os livros.
Príncipe Mecânico é o segundo livro da trilogia As Peças Infernais escrita pela queridíssima Cassandra Clare, aclamada autora da saga Os Instrumentos Mortais. No início fiquei um pouco com o pé atrás ao escolher fazer a leitura dessa trilogia, mas depois pensei, se eu tinha amado tanto Cidades dos Ossos, deveria dar uma chance para essa nova estória. E adivinhem? Arrependi-me por não ter lido antes! É fantástica e fica cada vez melhor!

Para quem ainda não sabe, esta série se passa no mesmo mundo de Os Instrumentos Mortais, porém em uma época diferente, em Londres no ano de 1878. Confesso que, a meu ver, essa trilogia é ainda melhor que a estória da protagonista Clary. Caçadores de Sombras + estória de época + trama totalmente envolvente = livro extraordinariamente perfeito!
Em Príncipe Mecânico, o Magistrado continua sua busca por Tessa, que é peça fundamental do seu plano maligno para destruir os Caçadores de Sombras. Enquanto isso, os caçadores do Instituto têm poucos dias para encontrá-lo, pois caso isso não aconteça, Charlotte e Henry perderão o comando do Instituto de Londres.
Cassandra Clare, que já havia me surpreendido muito no primeiro volume da trilogia, conseguiu se superar e me surpreendeu ainda mais nesse livro. A autora explorou muito mais o lado emocional dos personagens e seus dramas pessoais do que a aventura em si. Alguns papéis também se inverteram. Alguns que pareciam frágeis e fracos se mostram fortes. E outros que pareciam possuir coração de pedra, desmoronam diante de nossos olhos.

Tessa teve sua vida virada de cabeça para baixo e ela continua sem saber exatamente o que é. Adorei a forma como a autora ia desenvolvendo esse mistério. Cassandra Clare também mostrou um pouco do passado de Will e revelou o motivo pelo qual ele age daquele jeito, fazendo com que eu amasse ainda mais do personagem.  Até os secundários ganharam mais destaque, passando a ter papéis mais importantes no desenvolvimento da história.
Os diálogos e as cenas fortes sem ação alguma faz o leitor perder o fôlego! Sim, a forma como as palavras são usadas atingem tanto o personagem quanto o leitor. Juro que me emocionei em algumas cenas. Ainda mais naquelas que envolviam Will e Jem.
Como já mencionei na resenha de Anjo Mecânico, há triângulo amoroso em As Peças Infernais.Mas sem aquele mimimi desgastante que desagrada a tantos leitores. Em Príncipe Mecânico, a autora continuou com o desenvolvimento desse triângulo e fez tudo se encaixar. Tessa foi se aproximando de Will e Jem e a autora caprichou em mostrar os motivos pelos quais ela gostava de cada um, deixando a dúvida de Tessa bastante convincente. Até hoje não sei quem escolher.O que mais me agradou foi que a protagonista, ao contrário de praticamente todas as mocinhas do mundo literário, não fica de “mimimi” em relação aos dois garotos. Ponto para a autora novamente! Porém, esse triângulo me fez sofrer demasiadas vezes.
Este volume não é aquele livro de te deixar sem fôlego de tanta ação, mas sim de nos deixar com os pulmões explodindo nos diálogos. É um livro que te faz sofrer, do começo ao fim, com uma montanha russa de emoções. Com o decorrer da trama, os personagens vão passando por problemas maiores e o leitor vai se envolvendo cada vez mais. Cassandra Clare tem o dom de fazer você ficar apegada ao personagem e depois fazer seu coração tremer com a possibilidade de que algo ruim possa acontecer com ele. Em diversos momentos eu surtava e queria entrar no livro para tentar ajudar. Além disso, fiquei com o coração apertado e na mão muitas vezes. Ai ai muito amor por essa estória❤ Vontade de reler.

Tessa continua a garota que tenho orgulho ❤ Esperta, forte e determinada. Sua vida ainda está uma bagunça, mas ela tenta ao máximo colocar tudo de volta aos trilhos. Fatos do passado deWill são revelados; Jem luta contra sua doença e se mostra ainda melhor como pessoa;Magnus tem um papel de extrema importância e está bem envolvido em ajudar Will;Jessamine parece estar escondendo segredos; Shopie se mostra muito mais que uma empregada, se mostra amiga, e uma mulher muito forte e guerreira; o casal Henry e Charlotte tem suas feridas expostas e compreendemos melhor vários detalhes sobre os conflitos entre a família da moça e os Lightwood.
Com uma narrativa espetacular e uma trama totalmente digna de um grande clássico, As Peças Infernais mostra que Cassandra Clare tem um potencial extraordinário para escrever grandes histórias. A maneira como a escritora conseguiu tornar tudo ali mais real e humano nos faz sentir parte da história e nos tornar amigos dos personagens. O leitor se coloca inteiramente e sente as dores dos personagens. É incrível como um livro pode mexer conosco! Cassandra fez com que uma história de época ficasse interessante e mergulhou o sobrenatural junto. Que pacote maravilhoso! Recomendadíssima essa trilogia😉
Frases

“Quando penso em você, vejo-a com os olhos da imaginação sempre com um livro em mãos.”
“Lembranças não faziam bem a ninguém, não quando se conhecia a verdade do presente.”
“A mudança nem sempre é conquistada de forma pacífica, mas isto não faz dela uma desvantagem.”
“O jeito simples com que dizia seu nome lhe desmontava, afrouxava algo, feito um nó, que lhe apertava as costelas, deixando-a sem fôlego.”
“O prazer de uma pessoa às vezes é o veneno de outra, não acha?”
“Dizem que o tempo cura todas as feridas, mas isso presume que a fonte da dor é finita. Que está superada.”
“Se ninguém se importa com você, será que você sequer existe?”
“Não se pode comprar, alucinar ou sonhar um caminho para fugir da dor.”
“Seria mesmo possível amar duas pessoas ao mesmo tempo? Era possível dividir o coração em dois?”
“Amor não retribuído é uma coisa ridícula e faz com que as pessoas se comportem de forma ridícula.”
“Segredos e mentiras são como um câncer na alma. Corroem o que é bom e deixam apenas destruição.”
“Seu lugar é comigo. Sempre será.”
“Não posso explicar o amor. Não sei dizer se a amei desde o primeiro instante em que a vi ou se foi no segundo, no terceiro ou no quarto. Mas me lembro da primeira vez que a vi caminhando em minha direção e percebi que de algum jeito o resto do mundo parecia desaparecer quando estou ao seu lado. Quando percebi que você era o centro de tudo que eu fazia, sentia e pensava.”
“Foram os livros que me impediram de me matar depois que achei que não pudesse amar ninguém, nem ser amado por ninguém. Foram os livros que fizeram com que eu sentisse que não estava completamente sozinho. Eles poderiam ser sinceros comigo e eu com eles.”

Deixe um comentário