Título Original: Champion
Autora: Marie Lu
Páginas: 302
Ano: 2014
Editora: Prumo \ Rocco
Gênero: Distopia
AdicioneSkoob
Sinopse:
No emocionante desfecho da trilogia Legend, June ocupa uma posição privilegiada no governo e Day trocou a alcunha de criminoso mais procurado do país pela de herói nacional. Mas quando tudo parece conspirar a favor da paz, a ameaça da guerra ressurge na forma de um vírus mortal que começa a espalhar o pânico entre as colônias. Em Champion, a vida de milhares de pessoas está novamente nas mãos de June, a menina-prodígio da República. Mas salvá-las significa também enfrentar novos desafios e exigir novos sacrifícios de seu amor. O livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores, que relança também os dois primeiros volumes da série, Legend e Prodigy.

Trilogia Legend 


1. Legend (leia a resenha)
2. Prodigy (leia a resenha)
3. Champion



Felicidade, apreensão, curiosidade e ansiedade foram sentimentos que me inundaram quando ganhei de presente Champion, último livro da Trilogia Legend. Tão desejado e esperado por mim. A rosa e o buraco de bala que compõem a capa me ganharam de cara! Foi amor à primeira vista. Estava curiosa e com medo com o que aconteceria nesse livro. O final de Prodigy me abalou por completo e a espera por Champion foi longa demais para minha curiosidade aguentar.

Nesse último livro, relembramos que Day e June terminaram o relacionamento no final do livro anterior. Assim vemos como os pombinhos estão seguindo suas vidas separadas. Day está enlaçado com uma doença que ainda não há cura e notamos o quanto ela o desgasta e o faz mal. Ele é atingido por fortes dores a todo o momento e se submete a fortes medicamentos. Nosso herói não está mais 100% como costumava ser. June está recebendo treinando para ser a nova Primeira Cidadã, contudo, por ser muito nova, outros dois competem essa importante vaga com nossa soldada.
Devido o rompimento, Day e June não se falam há dias, até que a possível futura Primeira Cidadã contata o herói de longos cabelos loiros em uma noite, com um convite para uma importante reunião que cabe interesse aos dois e demais pessoas interessadas. Logo, descobrimos que as Colônias estão prestes a declarar guerra à República devido a um vírus que está se espalhando pelas Colônias, o qual coloca toda a culpa na República. Ainda não há cura para esse vírus mortal e acha-se que a possível cura pode estar no sangue do pequeno Éden, irmão de Day.

Assim o caos se alastra, pois obviamente nosso herói não iria deixar seu irmãozinho à mercê dos “cuidados” da República novamente. Além disso, teremos os julgamentos da Comandante Jameson (ódio eterno) e Thomas (amor e ódio eternos). Com tantos espiões, fica difícil saber em quem confiar. Devido a isso, mais confusões acontecem. Fique de olho nesses dois, República! Após isso, Day descobre que sua doença é fatal e que tem somente dois meses de vida. Mais um problema pra grande lista de problemas.
No decorrer da trama, podemos notar que, às vezes, um pequeno problema pode se tornar uma grande bola de neve. E, quando digo grande, quer dizer uma enorme guerra. Como dizem: situações desesperadas geram medidas desesperadas. Além de muito improviso.
Os Patriotas aparecem em certo momento e me cabe dizer, que saudade estava deles! Os jovens rebeldes patriotas me encantam. As habilidades e coragem deles são demais! Quando Pascao surge e diz sua primeira fala no livro, eu já quero abraçá-lo. Logo ele me faz rir depois de tanta tensão que estava ocorrendo no enredo.

Devido o ataque das Colônias contra Denver, a cidade é evacuada e todos são levados para Los Angeles. É nesse momento que Éden demostra ser corajoso e surpreende a todos. A decisão tomada por aquela pequenez pode fazer grande diferença. Assim, June e Anden (que estão cada dia mais próximos) vão até Ross City na Antártica para tentar fazer negócios e receber ajuda dessa grande potência na guerra. Fiquei impressionada com o tamanho da magnificência que esse continente se tornou. Do meu ponto de vista, a Antártica é muito mais superior à República e as Colônias, isso até parece óbvio depois de lido. A tecnologia usada por eles e as lições dadas por dia são impressionantes.
Conspirações, traições, reconciliações e ameaças são feitas constantemente. Além de reviravoltas que deixa o leitor sem fôlego e pensando: “Não pode ser :O #chocada.” Sério, é um tiro atrás do outro.
Mortes acontecem, pessoas feridas e momentos fortes. Não pude deixar de derramar lágrimas em várias, várias cenas. Não dá para contar nos dedos a quantidade de emoções e dores que sentimos no decorrer da estória.

Fui atingida por um sentimento nostálgico, feliz e triste ao ler o final de Champion, lá pela página 292. Imaginar o futuro distante dos personagens me fez relembrar o começo de Legend e as aventuras e tapas na cara que tanto os personagens passaram, quanto nós leitores. Não sei vocês, mas eu detesto finais! Pois apesar de, para mim, os personagens “existirem” e continuarem com a vida deles após as últimas palavras do livro, acabou a história. Não irei mais ler as aventuras dos meus velhos amigos, só poderei imaginar o que irá acontecer na vida deles a partir do “fim”.
Assim, vieram as famosas lágrimas de tristeza, alegria e orgulho por ter lido uma trilogia tão fantástica. Sentirei saudades de DayJuneTessÉdenPascao e demais personagens que completaram o pacote. Obrigada Marie Lu por ter escrito essa trilogia incrível e obrigada a Editora Rocco por tê-la trago/trazido para o Brasil e nos proporcionado o prazer dessa leitura!

A escrita de Marie Lu é empolgante e fantástica. Tanto que às vezes parava para admirar. A estória é demasiadamente bem escrita e interligada. Todas as pontas soltas e mistérios são ligados e desvendados com maestria. Conseguimos nos apegar aos personagens e nos colocar em seus lugares. Podemos pegar uma lição com cada um deles e carregá-las conosco para sempre. Sério, não tenho palavras para descrever meu amor por essa trilogia.
Trilogia Legend é recomendadíssima por mim. Pois, como eu já havia dito antes, tem um enredo distópico fascinante e cheio de surpresas. Lições e aprendizados de amor, de se doar ao próximo ao fazer sacrifícios por quem ama e pelo que acha certo. Remete-nos também a amizade e a lealdade. A lutar pelo que acredita. A carregar em si as lições que aprendeu com a família. Enfim, Marie Lu nos proporciona isso e mais entre as palavras e linhas na Trilogia Legend.

6 Comentários

  1. Nath, amo essa trilogia, é boa demais. Sua resenha está super completa e maravilhosa, como sempre. Esse final é lacrador demais e não consegui segurar as lágrimas.

    Beijos

    http://meninasnaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lili!
      É muito amor mesmo <3 Maravilhosa! Obrigada! Fico feliz que tenha gostado :D O final me fez chorar muito!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, amiga!
    Lembra que comentamos sobre termos "fases literárias"? Acho que no momento estou em abstinência de distopias. E acredite, sou muito curiosa quanto a essa trilogia e sendo recomendada por você, fico ainda mais curiosa. Mas creio que esse não seja o momento certo para desvendar esse universo.
    Beijos!
    apenasumaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Lembro sim! Sei como é, amiga. Espero que volte para a fase distópica logo, pois essa trilogia é incrível <3
      Beijos

      Excluir
  3. FINAL LACRADOR!!
    Adorei toda a trilogia Legend. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pedro!
      Essa trilogia é MARA! Outro nível <3 Final me matou haha
      Beijos

      Excluir