Olá, Olá!
No Guarda-Chuva Literário de hoje trouxe uma novidade ainda melhor :D Não é uma notícia comum que já estamos acostumados, mas sim um pedaço de um capitulo traduzido do novo livro da Leigh BardugoSix of Crows! Estou ficando maluca de tanto desejar este livro. A edição americana é fantástica e mal posso esperar para que seja lançado logo aqui no Brasil. A Editora Gutenberg já anunciou que irá lançá-lo no segundo semestre desse ano! Com certeza comprarei as duas edições<3


Six of Crows (Os Seis Corvos ou Seis de Corvos, sem tradução oficial) será uma duologia que se passará no mundo Grisha já nos apresentado em Sombra e Ossos! Um Spin-Off denominado The Dregs! Saibam mais detalhes contados AQUI. Confiram abaixo a capa, sinopse e o trecho do capítulo disponibilizado no site da autora que eu traduzi, pois não aguentei esperar haha Por esse motivo, perdoem qualquer erro. Fiz o melhor que pude.


Ketterdam: um movimentado centro do comércio internacional, onde tudo pode ser obtido pelo preço certo. Ninguém sabe disso melhor do que o criminoso prodígio Kaz Brekker. É oferecido a Kaz a chance de um roubo mortal que poderia torná-lo muito rico além de seus sonhos. Mas ele não pode fazê-lo sozinho, então ele precisa de:
– Um presidiário com uma sede de vingança;
– Um atirador de elite que não consegue andar longe de uma aposta;
– Um fugitivo com um passado privilegiado;
– Uma espiã conhecida como Fantasma;
– Uma Sangradora com sua magia para sobreviver aos bairros miseráveis;
– Um ladrão com um dom para escapar;
Seis marginais perigosos. Um assalto impossível. A tripulação de Kaz é a única coisa que pode ficar entre o mundo e  a destruição — se eles não matarem uns aos outros antes.

TRECHO




Matthias estava sonhando novamente. Sonhando com ela.

Em todos os seus sonhos, ele a caçava, por vezes, através dos novos prados verdes da primavera, mas geralmente através dos campos de gelo, esquivando-se das pedras e fendas com passos infalíveis. Ele sempre perseguiu e sempre a pegou. Nos bons sonhos, derrubava-a e estrangulava-a no chão, observando a vida escorrer de seus olhos, o coração cheio de vingança finalmente, finalmente. Nos maus sonhos, ele a beijava.

Nesses sonhos, ela não lutava com ele. Ela ria como se a perseguição não passava de um jogo, como se soubesse que ele iria pegá-la, como se desejasse que ele a pegasse e não havia nenhum lugar que preferiria estar do que debaixo dele. Ela era acolhedora e perfeita em seus braços. Beijou-a e enterrou o rosto em seu pescoço. Seus cachos escovado suas bochechas, e ele sentiu que, se ele pudesse segurá-la um pouco mais, cada ferida, cada machucado, cada coisa ruim iria derreter.

“Matthias”, ela sussurrava, seu nome tão suave em seus lábios. Estes foram os piores sonhos, e quando ele acordou, ele odiava a si mesmo, quase tanto como a odiava. Para saber que poderia trair a si mesmo, trair seu país novamente, mesmo durante o sono, saber que, depois de tudo o que ela fez, alguma parte doente dele ainda era faminta depois dela. . . era demais.

Esta noite foi um sonho ruim, muito ruim. Ela estava usando seda azul, roupas muito mais luxuosas do que qualquer coisa que ele já tinha visto nela. Algum tipo de véu foi preso em seu cabelo, e brilhos tremeluzindo fora dele como chuva capturada. Djel, ela cheirava bem. O musgo úmido ainda estava lá, mas o perfume, também. Nina adorava luxo, e este foi caro, algo que o nariz do pobre não reconheceria. Ela apertou os lábios e ele podia jurar que estava chorando.

“Matthias”.

“Nina”, ele conseguiu.

“Oh, Santos, Matias,” ela sussurrou. “Por favor, acorde.”

E então ele estava acordado e sabia que tinha enlouquecido, pois ela estava aqui, em sua cela, de joelhos ao lado dele, sua mão descansando suavemente em seu peito. “Matthias, por favor.”

O som de sua voz, suplicando-lhe. Tinha sonhado com isso. Às vezes ela implorou por misericórdia. Às vezes, havia outras coisas, mas ela implorava.

Ele estendeu a mão e tocou-lhe o rosto. Ela tinha a pele mais macia. Ele tinha rido dela para ele uma vez. Nenhum soldado real, tinha a pele assim, ele disse a ela, mimado. Ele havia ridicularizado a exuberância de seu corpo, envergonhado de sua própria resposta para ela. Ele segurou a curva quente de sua bochecha, sentiu o toque suave de seu cabelo. Tão amável. Tão real. Não era justo.

Em seguida, ele registrou os invólucros sangrentos em suas mãos. Dor correu até ele quando acordou bruscamente, as costelas machucadas e os dedos doloridos. Lascou um dente. Ele não tinha certeza de quando, mas tinha cortado a sua língua em algum ponto. Sua boca ainda detinha o gosto de cobre do sangue. Os lobos. Fizeram-lhe um assassino.

Ele estava acordado.

“Nina?”

Havia lágrimas em seus belos olhos verdes. Raiva percorria ele. Ela não tinha direito a lágrimas, sem direito a pena.

“Shhhh, Matthias. Estamos aqui para libertá-lo.”

Que jogo foi esse? A nova crueldade? Ele tinha acabado de aprender a sobreviver neste lugar monstruoso e agora ela tinha vindo acumular algumas torturas frescas nele.

Lançou-se para a frente, lançando-a no chão, com as mãos presas firmemente em torno de sua garganta, abrangendo-a para que seus joelhos prendessem os braços dela no chão. Ele sabia muito bem que Nina com as mãos livres era uma coisa mortal.

“Nina”, ele rangeu. Ela agarrou suas mãos. “Bruxa”, ele sussurrou, inclinando-se sobre ela. Ele viu seus olhos se arregalam, seu rosto ficando mais vermelho. “Implore”, disse ele. “Implore-me por sua vida.”

Ele ouviu um clique, e uma voz rouca disse: “Tire as mãos dela, Helvar.”

Alguém atrás dele tinha pressionado uma arma em seu pescoço. Matthias não poupou-lhe um olhar. “Vá em frente e atire em mim”, disse ele. Ele enfiou os dedos mais profundamente no pescoço de Nina, nada dela iria privá-lo disso. Nada.

Traidora, bruxa, abominação. Todas essas palavras vieram até ele, mas outras surgiram também: bonita, encantadora. Roed fetla, ele a chamou, pequeno pássaro vermelho, devido à cor de sua ordem Grisha. A cor que ela amava. Ele apertou mais forte, silenciando o esforço fraco da vontade dentro dele.

“Se você realmente perdeu a cabeça, isso vai ser muito mais difícil do que eu pensava”, disse a voz rouca.

Matthias ouviu um assobio como algo movendo-se através do ar, em seguida, uma dor dilacerante atravessou seu ombro esquerdo. Ele sentiu como se tivesse levado um soco por um pequeno punho, mas todo o seu braço ficou dormente. Resmungando quando caiu para a frente, uma mão ainda apertada em torno da garganta de Nina. Ele teria caído diretamente sobre ela, mas foi puxado para trás pelo colarinho de sua camisa.

Um rapaz vestindo um uniforme de guarda estava diante dele, os olhos escuros brilhando, uma pistola em uma mão, uma bengala na outra, sua alça foi esculpida para se parecer com a cabeça de um corvo com um bico curvo cruel.

“Controle-se, Helvar”, disse o estranho menino pálido. “Estamos aqui para libertá-lo. Posso fazer com sua perna o que fiz com seu braço e podemos arrastá-lo para fora daqui, ou você pode sair como um homem, sobre dois pés.”

“Ninguém sai de Hellgate”, disse Matthias.

“Hoje à noite eles saem.”

Matthias sentou-se para a frente, tentando se orientar, agarrando o braço morto. 

“Você não pode simplesmente me tirar daqui. Os guardas vão me reconhecer.”, ele rosnou. “Eu não estou perdendo privilégios de luta para ser levado, Djel sabe onde, com você.”

“Você vai ser mascarado.”

“Se os guardas checarem…”

“Eles vão estar muito ocupados para verificar”, disse o menino. E então a gritaria começou.

A cabeça de Matthias se ergueu. Ele ouviu o estrondo dos passos da arena, coroando como uma onda quando as pessoas invadiram a passagem de fora da sua cela. Ele ouviu os gritos dos guardas, o rugido de um grande gato e o trompete de um elefante.

“Você abriu as jaulas.” A voz de Nina era instável com descrença, mas quem sabe o que poderia ser real ou um ato com ela. Matthias se recusou a olhar em sua direção. Se ele fizessem, iria perder todo o senso de realidade.

“Jesper deveria esperar até três sinos”, disse o rapaz pálido.

“Isso são três sinos, Kaz”, respondeu uma menina pequena no canto. Uma figura coberta de vergões e ligaduras.

“Desde quando Jesper é pontual?” O garoto reclamou com um olhar para o relógio. “Ande, Helvar.”

Ele ofereceu-lhe uma mão enluvada. Matthias olhou para ele. Este é um sonho. O sonho mais estranho que eu já tive, mas definitivamente um sonho. Ou talvez matar os lobos tinha finalmente deixado-o louco. Ele havia assassinado a família esta noite. Não há orações sussurradas para suas almas selvagens que iriam fazer isso direito.

Ele olhou para o demônio pálido com as mãos em preto enluvadas. “Kaz”, ela o chamou. Será que ele levaria Matthias deste pesadelo ou apenas iria arrastá-lo para um outro tipo de inferno? Escolha, Helvar.

Gostaram das novidades? Preferem se molhar ou usarão o guarda-chuva para se protegerem? ;D
Coluna | Guarda-Chuva Literário: A história por trás desse nome é que, pensem comigo, o guarda-chuva nos protege dos pingos que caem do céu, não é mesmo? Podemos escolher entre deixar o guarda-chuva nos proteger ou nos livramos dele e aproveitar cada gota que cai do céu. Aqui serão notícias que, dependendo da escolha de cada um, irão te encharcar de coisas boas e fazê-lo aproveitar a novidade ou te proteger e manter longe dependendo do que for!
Até a próxima!

22 Comentários

  1. Amigaaaaaaaaaa, posso imaginar sua ansiedade!! Não li os anteriores, só sua resenha! Mas de cara amei essa capa do Spin-off!
    Super beijo, Bru = www.naoemprestolivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bru!
      Pois é haha Não estou aguentando! Fico feliz que tenha gostado :D
      Beijos

      Excluir
  2. Nath, nem li a trilogia Grisha, mas já quero esse livro. Sua empolgação é contagiante!

    Beijos

    http://meninasnaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lili!
      É maravilhoso *-* Espero que leia quando for lançado!
      Beijos

      Excluir
  3. Não li a trilogia, mas pelas suas resenhas já sei que quando ler irei amar. Essa capa está simplesmente incrível e ainda bem que o tempo passa rápido né...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lê!
      Fico feliz que tenha gostado :D A capa é maravilhosa mesmo <3 Sim haha
      Beijos

      Excluir
  4. Oii,

    Amei... Ja li o primeiro livro.

    Abraços...

    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Michael!
      Aêê \o/ Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos

      Excluir
  5. NÃO ESTOU SABENDO LIDAR. se a edicao brasileira for tao linda quanto a americana, com certeza eu vou comprar o físico (mesmo eu não tendo gostado muito de sombra e ossos - pretendo reler nas férias). quero muito <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Fredo!
      Também não estou sabendo lidar *-* Eu vou comprar de qualquer jeito hahaha Mas siiimmm compre sim, leia sim! Abraço <3
      Beijos

      Excluir
  6. Imagino sua ansiedade ♥ quando a gente quer muito que um livro seja publicado ficamos loucas hehehehehehe.
    Gostei por demais da capa do livro, mas a história não sei se iria me prender.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Helana!
      Sim, ficamos descontroladas hahaha A capa é lindíssima mesmo :3 Ah, uma pena, mas mesmo assim espero que leia ;-)
      Beijos

      Excluir
  7. Ola Lindona ainda não li a Trilogia, mas para quem já leu essa tradução é um presente e tanto amei essa capa linda demais, vou correr para ler a trilogia assim posso acompanhar esse novo livro. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Joyce!
      Fico feliz que tenha gostado *-* Espero que leia mesmo e que goste! Vale muito a pena ;-)
      Beijos

      Excluir
  8. Nunca li os livros anteriores, mas sua empolgação me contagiou.
    A história é bem interessante e a capa é maravilhosa!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carolina!
      Espero que leia os outros livros e que goste *-* É linda mesmo!
      Beijos

      Excluir
  9. Jesuusss!
    Ameiii a novidade, quero muito ler a outra trilogia, e essa capa ficou sensacional. :D

    Abração,

    Pedrim
    http://pedrimoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pedro!
      Fico feliz que tenha gostado :D Leia sim! É maravilhosa! Sim <3
      Beijos

      Excluir
  10. Interessante o suficiente para me deixar curiosa, nunca li nada dessa autora mas leio muitos elogios da primeira trilogia que ela lançou, além da capa ser linda a premissa é tentadora. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dani!
      Fico feliz que tenha gostado :D Espero que leia e que goste!
      Beijos

      Excluir
  11. Oi flor, tudo bem??
    Adorei a capa deste livro... achei maravilhosa... sou louca para ler a trilogia... só tenho o primeiro.. é bom saber que temos mais livros que envolve a série, porque tenho a nítida impressão de que vou gostar e muito... adorei que você se preocupou em traduzir para os leitores... ótima iniciativa.. xero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Diana!
      A capa é maravilhosa mesmo *-* Espero que ache um tempinho para ler a Trilogia Grisha, pois vale muito a pena! Sim sim haha Obrigada <3
      Beijos

      Excluir