Olá, queridos leitores!
A coluna Entre Mundos teve sua estréia há um tempo com uma postagem linda sobre o Mundo Grisha (clique para conferir), mas esta coluna dá um trabalhinho extra e por isso ela não acontece mais frequentemente como as outras, nem por isso é menos especial! Ao contrário, ela é meu xodó <3 Na postagem de hoje irei contar mais sobre o Mundo Divergente que se passa na trilogia de mesmo nome ;D

Divergente foi um dos primeiros livros que li e que se passa em um mundo distópico. Apaixonei-me de primeira pelo gênero e ele é um dos meus favoritos <3 Sei que há algumas coisinhas que nos irritam, mas são revelantes e por favor não venham jogar pedras em mim por eu amar a estória hihi *-* As capas são maravilhosas e a estória é bastante interessante <3
A autora Veronica Roth me encantou e surpreendeu com sua criatividade e escrita em sua Trilogia Divergente, mas também me decepcionou, pois no decorrer dos livros a estória foi se enfraquecendo :(  Amei tanto, mais tanto que a estória me tocou de um jeito inimaginável. O primeiro livro é meu xodó, meu precioso <3 Já os outros livros não faço tanta questão.

Com os filmes também ocorreu o mesmo problema e isso machuca meu coração, pois a autora tem potencial e a estória é fantástica! A primeira adaptação é meu amorzinho com os autores e a trilha sonora maravilhosa <3 É “mais” fiel ao livro que os outros filmes e é o que mais me agradou. Sério, meu coração explode com as emoções que sinto com a adaptação, não sei explicar, mas mexe comigo de certa forma. Uma pena tudo ter dado errado, pois tanto a estória, os fãs e a autora mereciam mais.

Enfim, não estamos aqui para lamentar! Estamos aqui para comentar mais sobre o universo distópico de Divergente, o qual vale muito a pena conhecer. Não irei aprofundar muito, pois a maioria já conhece a estória.

Observação
Esta postagem não possui spoilers que atrapalhará sua leitura. Ao contrário, espero que ajude.



Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
Na Chicago distópica do futuro onde Beatrice nasceu e cresceu, as semelhanças com a metrópole americana dos dias de hoje se resumem à presença de alguns prédios icônicos em estado de abandono ou decadentes. Carros são raros, o Lago Michigan virou um grande pântano, e a maior parte da comida é congelada ou enlatada. Neste cenário desolador, decidiu-se décadas antes de Beatrice nascer que a culpa da guerra e de outras privações estava na personalidade humana. A população foi separada em facções (grupos), numa tentativa de erradicar os atributos responsáveis pela desordem no mundo.

Assim, os que culpavam o egoísmo geraram a Abnegação, e os que acreditavam que a agressividade era a razão dos problemas formaram a Amizade. Aqueles que viam na covardia a origem de todos os males se juntaram à Audácia, enquanto os que repudiavam a ignorância se uniram à Erudição. Por fim, quem pensava na duplicidade como algo a ser exterminado formou a Franqueza. Cada grupo contribuiu com um setor diferente da sociedade: a Abnegação supriu a demanda por líderes altruístas no governo, a Amizade deu conselheiros e zeladores compreensivos, a Audácia protegeu a todos de ameaças externas e internas, a Erudição forneceu pesquisadores e professores inteligentes, e a Franqueza providenciou líderes confiáveis para o Judiciário. Mas, acima de tudo, em cada grupo, encontrou-se um propósito e uma justificativa para a própria existência.
Contudo, este mundo planejado para ser ideal e perfeito possui suas rachaduras. Sendo assim, alguns cidadãos não compreendem tudo deste novo mundo e diversos fatos são deixados debaixo dos panos.
AS FACÇÕES

Já me perguntaram se eu inventei os nomes das facções. Eu não inventei, mas eu usei palavras não-familiares de propósito, por várias razões. Uma delas é que eu queria que a compreensão do que cada facção representa demorasse, assim você aprende bastante observando os nomes das facções. Outra é que as definições de palavras mais obscuras são mais específicas, de modo interessante. E a terceira é que – já que estamos sendo honestos aqui – elas tem um som mais legal.
As pessoas comentaram também que os nomes das facções são classes gramaticais diferentes – três substantivos (Franqueza, Amizade, Abnegação) e dois adjetivos (Audácia, Erudição)*. (Só pra constar, eu adoro esse tipo de consciência gramatical.) Eu estou ciente disso, e é algo que eu pensei em revisões. O motivo disso é que cada facção escolheu seu nome independentemente, assim como escreveram seus manifestos independentemente, e formaram seus próprios costumes e regras independentemente (em uma certa medida, de qualquer forma). Com isso em mente, eu tentei escolher as palavras que faziam mais sentido para cada facção sem considerar muito as outras facções. – Veronica Roth

Há décadas, nossos antepassados perceberam que a culpa por um mundo em guerra não poderia ser atribuída à ideologia política, à crença religiosa, à raça ou ao nacionalismo. Eles concluíram, no entanto, que a culpa estava na personalidade humana, na inclinação humana para o mal, seja qual for a sua forma. Dividiram-se em facções que procuravam erradicar essas qualidades que acreditavam ser responsáveis pela desordem no mundo.
Os que culpavam a agressividade formaram a Amizade
Os que culpavam a ignorância se tornaram a Erudição
Os que culpavam a duplicidade fundaram a Franqueza
Os que culpavam o egoísmo geraram a Abnegação
E os que culpavam a covardia se juntaram à Audácia
Trabalhando juntas, as cinco facções têm vivido em paz há anos, cada uma contribuindo com um diferente setor da sociedade. A Abnegação supriu nossa demanda por líderes altruístas no governo; a Franqueza providenciou líderes confiáveis e seguros no setor judiciário; a Erudição nos forneceu professores e pesquisadores inteligentes; a Amizade nos deu conselheiros e zeladores compreensivos; e a Audácia se encarrega de nossa proteção contra ameaças tanto internas quanto externas. Mas o alcance de cada facção não se limita a essas áreas. Oferecemos uns aos outros muito mais do que pode ser expressado em palavras. Em nossas facções, encontramos sentido, encontramos propósito, encontramos vida. Longe delas, não sobreviveríamos.
(DIVERGENTE. Capítulo 5. Páginas 48, 49 e 50)

ABNEGAÇÃO

ABNEGAÇÃO: O ALTRUÍSTA
Manifesto
Eu serei minha ruína
Seu eu me tornar minha obsessão.
Eu esquecerei aqueles que amo
Seu eu não servi-los.
Eu guerrearei com outros
Se me recusar a vê-los.
Portanto eu escolho me afastar
Da minha reflexão,
Confiar não em mim
Mas nos meus irmãos e irmãs,
Proteger sempre o próximo
Até que eu desapareça.*
(*Alguns membros adicionam uma linha final: “E apenas Deus permanece.” Isso é escolha de cada membro, e não é obrigatório.)

Usam roupas muito simples, largas e cinzas, que não chamem atenção. Podem olhar-se no espelho apenas a cada três meses, para cortarem os cabelos.

AMIZADE

AMIZADE: O PACÍFICO
Manifesto
Conversações de Paz
CONFIANÇA
O Filho diz a sua Mãe: “Mãe, hoje eu briguei com meu amigo.”
Sua Mãe diz: “Por que você brigou com seu amigo?”
“Porque ele quis algo de mim, e eu não dei pra ele.”
“Por que você não deu pra ele?”
“Porque é meu.”
“Meu filho, agora você tem seu objeto, mas você não tem seu amigo. Qual você preferia ter?”
“Meu amigo”
“Então dê livremente, confiando que também te darão o que precisa.”
AUTO-SUFICIÊNCIA
A Filha diz a seu Pai: “Pai, hoje eu briguei com meu amigo.”
Seu Pai diz: “Por que você brigou com seu amigo?”
“Porque ele me insultou, e eu estava nervosa.”
“Por que você estava nervosa?”
“Porque ele mentiu sobre mim.” (Em algumas versões: “Porque eu estava machucada pelas suas palavras.”)
“Minha filha, as palavras do seu amigo mudaram quem você é?”
“Não”
“Então não fique nervosa. A opinião dos outros não podem te fazer mal.”
PERDÃO
O Marido diz a sua Esposa: “Esposa, hoje eu briguei com meu inimigo.”
Sua Esposa diz: “Por que você brigou com seu inimigo?”
“Porque eu odeio ele.”
“Meu marido, por que você odeia ele?”
“Porque ele errou comigo.”
“O erro é passado. Você deve deixa-lo permanecer lá.”
BONDADE
A Mulher diz a seu Marido: “Marido, hoje eu briguei com meu inimigo.”
Seu Marido diz: “Por que você brigou com seu inimigo?”
“Porque eu falei palavras cruéis a ela.”
“Minha mulher, por que você falou palavras cruéis a ela?”
“Porque eu acreditava serem verdades.”
“Então você não deve mais ter pensamentos cruéis. Eles levam a palavras cruéis, e machucam você o tanto quanto eles machucam seu alvo.”
(A próxima sessão fez parte do manifesto original, mas foi removida mais tarde.)
ENVOLVIMENTO
O Amigo diz para o Outro: “Amigo, hoje eu briguei com meu inimigo.”
O Outro Amigo diz: “Por que você brigou com seu inimigo?”
“Porque eles estavam prestes a te machucar.”
“Amigo, por que você me defendeu?”
“Porque eu te amo.”
“Então eu estou grato.”

As roupas são em tons amarelos e vermelhos, sempre alegres. A moradia da maioria das pessoas dessa facção é a fazenda, no interior.

AUDÁCIA

AUDÁCIA: O CORAJOSO
Manifesto
ACREDITAMOS
que a covardia deve ser culpada pelas injustiças do mundo.
ACREDITAMOS
que a paz não se ganha fácil, que as vezes, é necessário lutar pela paz. Mas, mas que isso:
ACREDITAMOS
que justiça é mais importante que a paz.
ACREDITAMOS
na liberdade do medo, em negar ao medo o poder de influenciar nossas decisões.
ACREDITAMOS
nos atos simples de bravura, na coragem que leva uma pessoa a se levantar em defesa da outra.
ACREDITAMOS
em reconhecer o medo e o que o leva a nos governar.
ACREDITAMOS
em enfrentar o medo não importa o que isso custa do nosso conforto, nossa felicidade, ou até mesmo nossa sanidade.
ACREDITAMOS
em gritar por aqueles que só cochicham, em defender aqueles que não conseguem defender a si próprios.
ACREDITAMOS
não apenas em palavras ousadas, mas em ações ousadas para combinar com elas.
ACREDITAMOS
que a dor e a morte são melhores que covardia e inatividade, porque
ACREDITAMOS
em ação.
NÃO ACREDITAMOS
em viver vidas confortáveis.
NÃO ACREDITAMOS
que o silêncio seja útil.
NÃO ACREDITAMOS
em boas maneiras.
NÃO ACREDITAMOS
em limitar as riquezas da vida.
NÃO ACREDITAMOS
em cabeças vazias, bocas vazias, ou mãos vazias.
NÃO ACREDITAMOS
que aprender a violência máxima encoraja a violência desnecessária.
NÃO ACREDITAMOS
que devemos ser autorizados a ficar de braços cruzados.
NÃO ACREDITAMOS
que qualquer outra virtude seja mais importante que a bravura.

Costumam ter muitos piercings e tatuagens pelo corpo, usam roupas pretas e apertadas, maquiagem chamativa e estão sempre saltando de trens em movimento, se divertindo e colocando em risco a própria vida.

ERUDIÇÃO

ERUDIÇÃO: O INTELIGENTE
Manifesto
Nos submetemos às seguintes afirmações como verdades:
  • “Ignorância” é definida não como estúpida, mas como falta de conhecimento.
  • Falta de conhecimento inevitavelmente leva à falta de entendimento.
  • Falta de entendimento leva à desconexão junto a pessoas com diferenças.
  • Desconexão junto a pessoas com diferenças leva ao conflito.
  • Conhecimento é a única solução lógica para o conflito.
Portanto, nós propomos que, em ordem de eliminar o conflito, devemos eliminar a desconexão junto as diferenças corrigindo a falta de entendimento que cresce da ignorância do conhecimento. As áreas que as pessoas devem ser educadas são:
SOCIOLOGIA
  • Assim o indivíduo entende a função de uma sociedade larga.
PSICOLOGIA
  • Assim o indivíduo entende a função de uma pessoa dentro da sociedade.
MATEMÁTICA
  • Assim o indivíduo está preparado para o estudo futuro em ciência, engenharia, medicina e tecnologia.
CIÊNCIA
  • Assim o indivíduo entende melhor como o mundo opera.
  • Assim o estudo do indivíduo em outras áreas é complementado.
  • Assim o máximo de indivíduos possível estão preparados para entrar nos campos devotados em inovação e progresso.
COMUNICAÇÃO
  • Assim o indivíduo sabe como falar e escrever com clareza e eficiência.
HISTÓRIA
  • Assim o indivíduo entende os erros e sucessos que nos levaram a este ponto.
  • Assim o indivíduo aprende a repetir esses sucessos e evitar esses erros.
Líderes não devem ser escolhidos baseado no carisma, popularidade, ou facilidade de comunicação, tudo que é enganoso e tem pouco a ver com a eficiência de um líder político.
Um padrão objetivo deve ser usado a fim de determinar quem melhor se qualifica à função. Esse padrão consistirá em um teste de inteligência, administrado a todos os adultos quando o líder atual atingir 55 anos ou começar a apresentar uma demonstrável queda em sua liderança.
Aqueles que, após rigorosos estudos, não atingirem um mínimo de inteligência requerida serão exilados da facção, para que possam se tornar úteis em outro lugar. Esse não é um ato de elitismo, mas sim um ato prático: Aqueles que não forem suficientemente inteligentes para se engajarem nos papéis a que foram designados – papéis que exigem uma capacidade mental considerável – serão mais bem aproveitados em trabalhos braçais, que em trabalhos para a facção. O trabalho braçal é importante para a sobrevivência da sociedade, portanto, é tão importante quanto o trabalho para a facção.
A informação deve sempre estar acessível para todos os membros da facção, a todo o tempo. A contenção da informação é punível por prisão, e eventualmente, exílio. Cada questão que puder ser respondida deve ser respondida, ou ao menos deverá ser considerada. Processos de pensamento ilógico devem ser contestados quando surgirem. Respostas erradas devem ser corrigidas. Respostas corretas devem ser afirmadas. Se uma resposta para uma questão não for clara, deverá ser posta em debate. Todos os debates requerem evidência. Qualquer pensamento ou ideia controversos devem ser complementados com evidências, a fim de reduzir um conflito potencial.
A inteligência deve ser usada de forma benéfica, e não para detrimento da sociedade. Aqueles que utilizam a inteligência para ganho pessoal ou para detrimento de outros, não obtiveram uma compreensão correta quanto às responsabilidades de seu dom, e não são bem vindos em nossa facção.
Sempre será afirmado que: Inteligência é um dom, não um direito. Ela não deverá ser utilizada como arma, mas como ferramenta de melhorias para os outros.

Usam pelo menos uma peça de roupa azul, sempre. Óculos deixam com aparência inteligente, mesmo que sua visão seja perfeita.

FRANQUEZA

FRANQUEZA: O HONESTO
Manifesto
A desonestidade é desnecessária. A desonestidade é temporária. A desonestidade faz o mal ser possível.
Como as coisas são agora, mentiras impregnam a sociedade, famílias, e até a vida interna do indivíduo. Um grupo mente para outro grupo, pais mentem para as crianças, crianças mentem para os pais, amigos mentem para amigos, indivíduos mentem para si mesmos. Desonestidade se tornou algo integral ao modo que nos relacionamos e nós raramente nos encontramos em relacionamentos autênticos com outros. Nossos segredos sombrios permanecem escondidos. Mesmo que sejam nossos segredos sombrios que causem conflitos. Quando somos desonestos com as pessoas ao nosso redor, começamos a nos odiar por mentir; quando somos desonestos com nós mesmos, nós nunca mais seremos capazes de corrigir os defeitos que encontramos dentro de nós, os defeitos que desesperadamente escondemos de nossos amados, os defeitos que nos fazem mentir.
O que se tornou claro, é que as mentiras são apenas uma solução temporária para problemas permanentes. Mentir para poupar os sentimentos de outra pessoa, mesmo quando a verdade pudesse ajuda-la a melhorar, a prejudica permanentemente. Mentir para proteger a si mesmo dura apenas até a verdade aparecer. Como um animal selvagem, a verdade é poderosa demais para ser mantida aprisionada. Esses são exemplos que claramente vemos em nossas vidas, mesmo que falhemos em entender que eles não apenas se aplicam a nós e nossos vizinhos, ou nós e nossos amigos.
O que é a sociedade a não ser uma rede de relações de um indivíduo para com o outro? E o que é conflito, que não o segredo sombrio de uma pessoa colidindo com o de outra? Desonestidade é um véu que repele uma pessoa da outra. Desonestidade permite que o mal persista, escondida daqueles que lutariam contra ela.
Desonestidade leva à suspeita. Suspeita leva ao conflito. Honestidade leva à paz.
Nós temos uma visão de um mundo honesto. Nesse mundo, pais não mentem para suas crianças, e crianças não mentem para seus pais; amigos não mentem para outros; cônjuges não mentem um para outro. Quando nos perguntam sobre nossas opiniões somos livres a responder sem considerar outras respostas. Quando entramos numa conversa, não temos que analisar suas intenções, por que elas são transparentes. Não temos suspeita, e ninguém suspeita de nós. E mais que tudo – sim, mais que tudo – nós somos livres para expor nossos segredos sombrios por que sabemos os segredos de nossos vizinhos, de nossos amigos, de nossos cônjuges, de nossas crianças, de nossos pais, e de nossos inimigos.
Nós sabemos que enquanto somos falhos de uma forma única, não somos únicos, especiais porque somos falhos. Portanto, podemos ser autênticos. Não temos suspeitas. Estamos em paz com aqueles ao nosso redor.
A Verdade nos faz transparentes. A Verdade nos torna fortes. A Verdade nos une.
Criaremos nossas crianças para dizerem a verdade. Faremos isso encorajando elas a dizer o que se passa em suas mentes, a todo o momento. Para as crianças, palavras não ditas é o mesmo que mentir.
Seremos honestos com nossas crianças mesmo que isso envolva o sentimento delas. A única razão por qual as pessoas não suportam a honestidade atualmente é porque elas não foram criadas ouvindo as verdades sobre si mesmas, e não suportam essa ideia. Se as crianças forem criadas para ouvir tanto elogios quanto críticas verdadeiras, elas não serão frágeis a se esconder do exame de seus iguais. Uma vida de verdade nos torna fortes.
A vida adulta será definida como um tempo em que cada membro da sociedade será capaz de lidar com os piores segredos uns dos outros, e como qualquer outra pessoa, cada membro será submetido à Revelação Completa, em que cada parte de sua vida será exposta aos seus companheiros. Eles, também, verão cada segredo da vida dos outros membros. Dessa forma lidaremos com os segredos uns dos outros. Dessa forma seremos unidos.

Trajes sempre preto e branco.

Isso é tudo, pessoal ;D Gostaram? Não aprofundei muito para não dar spoilers e o essencial para o entendimento da estória acredito que esteja neste post. 
Sou Divergente com aptidão para Amizade, Franqueza e Erudição, minha família é da Abnegação. Ok, que confusão! Mas é que não dá para fazer parte somente de um grupo, nossa personalidade é muito diversa e possui características que se encaixam em todas as facções. Lembro-me que eu havia escolhido Audácia quando li o livro por causa das lutas, tatuagens e liberdade hehe E vocês?
Até a próxima!

12 Comentários

  1. Uau Nath, arrasou no post, me senti novamente no mundo Divergente, depois de tanto tempo. Amo essa série, apesar de Convergente.

    Beijos

    Lili - Blog Meninas na Literatura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lili!
      Obrigada :D Fico feliz que tenha gostado! Pois é haha
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Nath!

    Eu não li os livros e nem vi os filmes, mas acho que ou as pessoas amam ou detestam, ainda não sei de que lado ficarei rsrsrsrs espero descobrir em breve rsrsrs E seu post está mega completo! Parabéns <3

    Bjs, Mi
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mi!
      Ahhhh espero que veja logo, pois apesar de tudo, vale a pena :D É exatamente assim haha Obrigada, flor *-*
      Beijos

      Excluir
  3. Olá, Nathália.

    Acredita que nunca li nenhum livro da série e nem vi os filmes?!
    Mas adorei a postagem, me trouxe luz em muitos assuntos que já ouvi e fiquei meio que boiando rsrs. Adorei os looks, usaria todos.

    Beijos da Camila / Blogs Amigos
    http://cabinedeleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Camila!
      Sério? Ahhhh espero que veja logo ;-) haha Ah que ótimo! Fico feliz em ter ajudado! Obrigada <3
      Beijos

      Excluir
  4. Olá, tudo bem? Sou doida para ler esses livros, parecem ser ótimos. Adorei a postagem, ficou show!

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio de 3 KITS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lari!
      Espero que leia em breve *-* Obrigada, querida <3
      Beijos

      Excluir
  5. Ownnn, Nath! Também foi uma das minhas primeiras distopias e é a que eu mais gosto! <3
    Adorei demais esse post, principalmente porque vi muita coisa que eu nem sabia ou não lembrava mais.
    Parabéns pelo blog. Extremamente completo! <3

    Abraços,

    PEDRO OLIVEIRA
    UM MENINO LEITOR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pedro!
      Awwwwnn abraço <3 Divergente é muito amor! Obrigada! Fico feliz que tenha gostado tanto *-*
      Beijos

      Excluir
  6. MENINA, DEIXA EU RESPIRAR AQUI DEPOIS DESSA POSTAGEM MARAVILHOSA!!!!!!!
    AMEI, AMEI, AMEI! Uau, amiga, você arrasou nessa postagem! Como você amo Divergente, claro, não sou ignorante a ponto de ignorar todas as falhas da trilogia, mas cara, esse mundo é fantástico! O primeiro livro da trilogia e o primeiro filme da franquia são meus favoritos e os defenderei sempre! Gostaria muito de ser audaciosa, mas sou erudita nascida na abnegação (talvez somos colegas de vizinhança hahaha)!
    Abraço!
    apenasumaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mari!
      Ahhhhhhh fico feliz que tenha gostado tanto *-* Sim, devemos apreciar a estória fantástica, mas não ignorar as falhas. O primeiro também é meu favorito haha Somos vizinhas haha
      Beijos

      Excluir